A História da Bíblia vem de milênios, pois a Bíblia é o mais antigo, mais lido e mais traduzido livro que se tenha conhecimento no mundo moderno. Estima-se que a coleção de livros que a compõe tenha sido escrita por mais de 40 pessoas, num período aproximado de 1.600 anos, sendo que seus primeiros manuscritos foram escritos no século XV a.C, e tratam de um assunto básico: o agir de Deus na história de seu povo, revelando seu plano de salvação a toda a humanidade. Esses relatos sagrados passaram de geração em geração e foram escrito por escribas, sacerdotes, reis, profetas e poetas em longos pergaminhos de pele de cabra, linho e papiros, montando a história da bíblia. Copiados pelos escribas foram reunidos originalmente em coleções divididas em: A Lei, Os profetas e As Escrituras. Conforme nos conta a história da bíblia a versão mais antiga do AT, é a tradução para o grego conhecida por “Septuaginta” ou versão dos setenta, realizada em Alexandria por 70 judeus eruditos, pelo ano 285 a.C., sendo esta a versão usada no tempo de Cristo.

Hoje não existe nenhum original dos manuscritos da Bíblia, e a História da Bíblia se baseia nas cópias das cópias traduzidas em diversas línguas, porém importantes descobertas arqueológicas têm sido feitas ao longo do tempo, confirmando a cada nova descoberta a fidelidade dos textos bíblicos traduzidos. Entre estas descobertas destaca-se uma cópia quase na integra do livro do profeta Isaias, feitas aproximadamente 100 anos a.C. Fatos como este ratificam a história da bíblia e principalmente o seu conteúdo, pois comprovam que apesar de milenar a história da Bíblia é fiel aos acontecimentos.

É de destacar dois fatos que evidenciam a mão de Deus nas escrituras Sagradas: primeiro a unidade em livros escritos num período tão longo de tempo em lugares e por pessoas distantes, e segundo e não menos contundente é que nenhum outro livro conseguiu permanecer tão atual durante tanto tempo, somente um livro inspirado por Deus poderia.

Toda escritura é inspirada por Deus, e útil para ensinar, para repreender, para corrigir e para formar na justiça. Por ela o homem se torna perfeito, capacitado para toda boa obra. (II Tim 3. 16,17)

por: Sandra Maruri de Moura